Notícias

Newsletter

Acompanhe as novidades e fique sempre informado sobre nossos eventos

SOS Mata Atlântica apresenta trabalho de restauração florestal na COP 23
08/11/2017


A Fundação SOS Mata Atlântica participa da 23ª Conferência das Partes de Mudanças Climáticas, em Bonn, na Alemanha, para apresentar o seu trabalho de restauração florestal, no Brasil. A ONG será destaque nesta quinta-feira (9), às 18h (no horário de Bonn), com a palestra “Iniciativas para a restauração florestal na Mata Atlântica e contribuição para o NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) Brasileira – além do acordo climático”.

O diretor de políticas públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani, e o gerente de restauração florestal da ONG, Rafael Bitante Fernandes, apresentarão a palestra. Nela, serão abordados os projetos desenvolvidos para colaborar com o cumprimento da meta ambiental definida para o Brasil no Acordo de Paris: restauração e reflorestamento de 12 milhões de hectares de florestas.

Em 30 anos de história, a Fundação SOS Mata Atlântica já viabilizou o plantio de 40 milhões de mudas nativas, em cerca de 550 municípios de nove estados do bioma. “Esse espaço que teremos na COP é uma ótima oportunidade para mostrar que é preciso recuperar os 12,4% de floresta original que restam da Mata Atlântica, onde vivem 72% da população brasileira, em 17 estados”, diz Mario Mantovani.

O Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica – HEINEKEN Brasil é um bom exemplo do trabalho de recuperação florestal da ONG. A antiga fazenda de café, localizada em Itu, interior de São Paulo, tinha 49 hectares de floresta em 2007 e, hoje, conta com 386 hectares restaurados. O Centro completa 10 anos neste mês e comemora o retorno de duas nascentes de água, a volta de animais raros, além do aumento de 156,7% no número de espécies de aves avistadas no local. Além disso, o local possui um viveiro com capacidade para produzir em torno de 700 mil mudas de 110 espécies nativas da Mata Atlântica por ano.

Para atingir a marca de 40 milhões de árvores plantadas, a Fundação SOS Mata Atlântica teve o importante apoio de cerca de 650 empresas de diversos setores e também contou com a mobilização pública.

Para o gerente de recuperação florestal da Fundação SOS Mata Atlântica, a conscientização de grandes empresas é essencial para uma sociedade mais atuante e que consiga amenizar os impactos ambientais causados ao longo dos anos. “Priorizamos o plantio em Áreas de Preservação Permanente, como topos de morro e matas ciliares, pois elas não poderão ser retiradas no futuro”, afirma Fernandes.

O projeto de recuperação de matas ciliares às margens da usina hidrelétrica de Promissão é outra frente importante de restauração florestal em andamento. Até agora já foram plantadas 1,2 milhão de mudas, com o apoio de empresas como Via Fácil Sem Parar, Bradesco Seguros, Bradesco Cartões e AES Tietê – responsável pela usina de Promissão. Esse total corresponde a uma área equivalente a 497 campos de futebol. A ação, iniciada em 2014, prevê o plantio de 3 milhões de árvores nativas na área em 8 anos.


Tags

Compartilhe

Comentários