Blog

Nasce filhote de peixe-boi marinho na APA Costa dos Corais
16/08/2017


No dia 15 de agosto de 2017 foi verificado pela equipe do ICMBio a presença de mais um filhote de peixe-boi marinho (Trichechus manatus manatus) na APA Costa dos Corais. O nascimento deste filhote trouxe grande alegria para toda a equipe, assim como para os parceiros que fazem parte desta história.

O programa de reintrodução de peixe-boi no Brasil, realizado pelo ICMBio com a ajuda de parceiros, iniciou em 1994 com a reintrodução de dois animais em Paripueira, estado de Alagoas. Nestes anos, 44 peixes-bois resgatados pelas instituições da Rede de Encalhe de Mamíferos Aquáticos do Nordestes (REMANE) e reabilitados pelo ICMBio foram devolvidos à natureza. O primeiro sítio de soltura e o único atualmente em atividade no Brasil está localizado dentro da APA Costa dos Corais, no rio Tatuamunha, Porto de Pedras, Alagoas.

Dentre os animais soltos, 19 (43%) foram fêmeas e 25 (57%) machos. Dentre as fêmeas reintroduzidas, 15 (79%) foram soltas na Área de Proteção Ambiental da Costa dos Corais, estado de Alagoas e 4 (21%) na Área de Proteção Ambiental da Barra de Mamanguape, estado da Paraíba.

peixe boi3Foram registrados o nascimento de oito filhotes no período, entretanto somente quatro fêmeas foram responsáveis por estes nascimentos, sendo a fêmea Lua com quatro parições, a fêmea Tuca com duas parições, a fêmea Áira com apenas uma parição e agora Luna, também em sua primeira parição. Dentre os filhotes registrados, todos nasceram com vida, entretanto dois vieram à óbito poucos dias depois do nascimento. Importante destacar, que após os dois primeiros registros que vieram à óbito, as atividades de conservação foram a cada ano mais aprimoradas e todos os demais nascimentos vem sendo realizado com sucesso. Nestes casos, o atendimento imediato da equipe, assim como o grande trabalho socioeducativo realizado nas comunidades, vem sendo o grande diferencial.

Luna, a nova mamãe, foi resgatada em 29 de agosto de 2005, na praia de Canoa Quebrada, estado do Ceará. Despois do resgate, foi transportada para a base do ICMBio na Ilha de Itamaracá, onde permaneceu com cuidados veterinários durante a reabilitação, até 1 de maio de 2008. Nesta data, ela foi transportada para o cativeiro de aclimatação em Porto de Pedras, estado de Alagoas. Destacando que ela estava entre o primeiro grupo de animais que foi transportado para este cativeiro, construído conjuntamente pelo ICMBio e Fundação Mamíferos Aquáticos, exclusivamente para o recebimento dos animais em processo final de reabilitação, para posterior soltura.

Luna após um período no cativeiro em ambiente natural, onde pode aprender a sobreviver nas condições naturais, tais como presença de outras espécies, mudança de maré e temperatura, entre outros pontos, foi liberada na natureza em 9 de novembro de 2008. Apesar de comportamento de grande interação antropogênica, Luna sempre teve uma boa adaptação no ambiente natural, interagindo com outros animais com sucesso na busca de alimentação e água.

Cerca de 1 anos atrás, a Luna foi vista pela equipe do ICMBio om comportamento de cópula com outros animais reintroduzidos. Nos últimos meses, Luna não estava sendo avistada pela equipe. Havia-se a suspeita de prenhes da fêmea, confirmada no dia 15 de agosto de 2017, quando a Luna foi encontrada no rio Manguaba em Porto de Pedras, Alagoas, junto com um filhote. Para evitar estresse à mãe e filhote, a equipe não irá realizar o manejo dos dois, até que os mesmos tenham melhor condição para este tipo de atividade. Entretanto, estima-se que tenha no máximo 15 dias, não tendo sido verificado ainda o sexo do filhote.peixe boi2

A equipe veterinária e de monitoramento irá realizar uma avaliação prévia, sem retirada do animal da água nos próximos dias. Além disso, as equipes do ICMBio e da Associação Peixe-boi estarão de prontidão acompanhando mãe e filhote, prontos para o imediato atendimento, caso necessário e evitando uma interação das pessoas com os animais.

O ICMBio solicita que caso os animais sejam vistos, que não seja fornecido nenhum tipo de alimento ou água; que não toquem nem se aproximem da mãe nem do filhote e que evitem qualquer tipo de interação. No caso das embarcações presentes na região, solicita maior atenção durante o trânsito e, em caso de avistamento dos mesmos, que sejam desligados os motores até a passagem dos animais. Em caso de encontro dos mesmos ou dúvidas, ligar para os telefones: 82-3298-1346 (Base ICMBio Porto de Pedras/AL) e 81-3544-1948 (Base ICMBio Itamaracá/PE).

Parceria

O Projeto Toyota APA Costa dos Corais é uma parceria entre o ICMBio, a Fundação SOS Mata Atlântica e Fundação Toyota do Brasil iniciada em 2011 para a constituição de um Fundo de Apoio à Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais por um período de 10 anos. “A iniciativa conta com doações de 1 milhão de reais por ano pela Fundação Toyota, e a SOS Mata Atlântica realiza a gestão técnica e financeira desse recurso para que 50% desse montante seja utilizado, de forma desburocratizada e eficiente, no apoio a atividades e projetos propostos pela equipe gestora da APACC e também parceiros locais. Com isso, espera-se a total implementação da unidade de conservação e o fortalecimento das entidades locais para apoio à gestão da área”, explica a bióloga Camila Keiko Takahashi, da SOS Mata Atlântica.

O restante do recurso é colocado em uma carteira de investimentos para que seus rendimentos futuros garantam que as atividades essenciais ao funcionamento da APA sejam sempre desenvolvidas. Dessa forma, o Fundo de Apoio oferece segurança financeira à unidade de conservação para que se possa haver um planejamento de médio e longo prazo para a implementação eficiente da área e garanta, assim, a conservação da natureza aliada ao uso sustentável dos recursos naturais ali presentes. “Esse tipo de mecanismo é fundamental para contribuir com a implementação de UCs estratégicas e emblemáticas para todo o sistema de Unidades de Conservação”, reforça Erika Guimarães, gerente de áreas protegidas da SOS Mata Atlântica. “Nossa meta é engajar cada vez mais o setor privado no apoio à consolidação dessas áreas.”


Tags

Compartilhe

Comentários