Notícias
Se mantenha informado sobre nossas ações
marco tanaka
  j \d\e F \d\e Y  

Cinquenta anos do Parque Nacional da Serra da Bocaina, uma joia da Mata Atlântica

Localizado entre as duas maiores cidades do país, o parque é conhecido por suas cachoeiras e trilhas

2 de fevereiro de 2021

Completar cinquenta anos é uma ocasião especial para diversas tradições. Por exemplo, a celebração do Jubileu para os cristãos, um tempo de paz, reconciliação e repouso da terra ao quinquagésimo ano. 

Diego Igawa

Independente das crenças, alguns lugares são especiais para encontrar um sentimento de paz e conexão com a natureza. O Parque Nacional da Serra da Bocaina com certeza é um desses lugares e completa cinquenta anos de existência no dia 4 de fevereiro de 2021. 

Criado pelo Decreto Federal n. 68.172/1971, o Parque Nacional da Serra da Bocaina é uma das Unidades de Conservação mais emblemáticas e relevantes de toda a Mata Atlântica. Gerido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), abrange  mais de 100 mil hectares de área protegida entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro e se estende pelos municípios de Ubatuba, Cunha, São José do Barreiro, Areias, Paraty e Angra dos Reis.  

Quem já viajou para algum desses municípios – muitos deles são importantes destinos turísticos brasileiros – já deve ter passado por alguma área do parque, mesmo sem saber. Além disso, todos esses municípios possuem áreas incluídas no sítio do Patrimônio Mundial Misto da Humanidade, reconhecido em julho de 2019 pelComitê do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) devido ao seu excepcional valor universal.  

Além de estar em um importante centro de endemismo para a Mata Atlântica (ou seja, áreas com grande diversificação de espécies que ocorrem apenas naquela região), a grande biodiversidade do parque também se deve à bela paisagem e diferentes ecossistemas que ele abrange, do nível do mar até mais de 2.000 metros de altitude, desde ambientes marinhos e vegetação costeira, passando por floresta ombrófila densa, floresta ombrófila mista altomontana até campos de altitude. Ou seja, o Parque Nacional da Serra da Bocaina representa bem o que é a Mata Atlântica, com sua grande riqueza de espécies e diversidade de ambientes. 

A água é um dos benefícios proporcionados pelo parque, que protege rios importantes para o abastecimento de toda a região, como as bacias do rio Mambucaba e do rio Bracuí, e rios importantes para outras cidades, como o rio Paraitinga, tributário do Paraíba do Sul. 

Diego Igawa

Serra da Bocaina também faz parte da história e cultura do país. Pelo parque passa o antigo caminho do ouro, estrada construída sobre antigas trilhas indígenas e utilizada pelos tropeiros para escoar as riquezas de Minas Gerais até portos no litoral fluminense. A biodiversidade também anda junto da diversidade de culturas caipira, caiçara, indígena e quilombola que existem na região. 

Por essas e outras características, o Parque Nacional da Serra da Bocaina é uma joia da Mata Atlântica entre as duas maiores cidades do país, praticamente equidistante entre São Paulo e Rio de Janeiro, e deve ser valorizado como tal. Assim que o país superar a pandemia que continua tirando a vida de muitas pessoas, vale a pena uma viagem para conhecer esse patrimônio com atrativos como a Cachoeira do Santo Isidro, o Caminho de Mambucaba, a Pedra da Macela e as piscinas naturais em Trindade. 

E, mesmo durante a pandemia, o trabalho das equipes do ICMBio foi intenso, inclusive no combate à caça. Essa atividade ilegal ainda ameaça a biodiversidade da Bocaina e ranchos de caça foram identificados e desmontados em operações conjuntas com a Polícia Federal no final de 2020. 

 Parceria de sucesso  

A Fundação SOS Mata Atlântica apoia Unidades de Conservação na região desde 1998. Em 2017, firmamos um Acordo de Cooperação com o ICMBio para apoiar a gestão do Parque Nacional da Serra da Bocaina, especialmente nas atividades de ordenamento do uso público, controle, fiscalização e atividades de pesquisa e educação ambiental. Este apoio possibilitou a aquisição de equipamentos, materiais e serviços para diversas ações, como a manutenção de trilhas, renovação da sinalização, operações para monitoramento e orientação de turistas, ações de voluntariado, articulação e proteção, além da manutenção da infraestrutura do parque. 

Conheça o trabalho da ONG no apoio a áreas protegidas 

Diego Igawa

Todos os recursos utilizados nessa parceria são provenientes de doações de pessoas físicas. A SOS Mata Atlântica possui fundos de apoio às Unidades de Conservação da Mata Atlântica e marinhas e, por meio do engajamento de pessoas físicas e empresas privadas, faz a gestão e direciona sua aplicação para fins públicos,  em apoio à implementação dessas áreas, de seus Conselhos e demais atividades em prol da proteção e uso público desses patrimônios naturais.  

Parabéns ao Parque Nacional da Serra da Bocaina pelo seu aniversário e jubileu de ouro e a todos os gestores, técnicos, voluntários, comunidades locais, apoiadores e parceiros que se dedicaram ao longo dessas cinco décadas para a conservação dessa área.  

Esperamos que essa data marque novos tempos para um parque já maduro, mas que ainda possui uma série de projetos para serem implementadosE, assim que superarmos a pandemia, esperamos poder celebrar esse marco com a contemplação em algum mirante do parque, um banho em uma de suas cachoeiras ou um mergulho no mar aos pés da Bocaina. 

Quer ajudar a Fundação a continuar este trabalho? Clique aqui e faça uma doação

Crédito: Fundação SOS Mata Atlântica

COMPARTILHE