ACESSE SUA CONTA

Esqueci minha senha

NÃO POSSUI CADASTRO

Fazendo seu cadastro, você:

marco tanaka
  j \d\e F \d\e Y  

Complete um álbum gratuito: você pode ir à Abrolhos!

29 de abril de 2014

Pela primeira vez no Brasil, internautas têm a oportunidade de colecionar figurinhas digitais com tema marinho, de forma interativa, lúdica e gratuita. O álbum contém 80 cromos sobre a região dos Abrolhos, no sul da Bahia e norte do Espírito Santo, que abriga a maior biodiversidade marinha do Atlântico Sul e requer atenção especial para sua conservação. Ao completá-lo, o colecionador poderá concorrer a duas viagens ao arquipélago, com direito a acompanhante, participando do Concurso Cultural Adote Abrolhos, que termina no dia 31 de julho de 2014.

A ideia do álbum surgiu durante a criação da Campanha Adote Abrolhos, uma iniciativa das ONGs Conservação Internacional (CI-Brasil) e Fundação SOS Mata Atlântica (www.adoteabrolhos.org.br). Só depois de muita procura, a coordenadora da campanha, Ana Cíntia Guazzelli, comunicadora do Programa Marinho da CI-Brasil, conseguiu encontrar na Irlanda exatamente o que idealizou. “Buscamos uma ferramenta de comunicação ágil, inovadora, interativa e instrutiva, que atingisse diferentes faixas etárias de um público de diversos segmentos”, explica.

Em www.fantom.ie/Abrolhos, o internauta pode acessar o álbum através de uma conta de email, Facebook ou Twitter, pela qual receberá todas as solicitações e informações de trocas de figurinhas. O primeiro pacote gratuito traz seis figurinhas, que se distribuem na tela em círculo. As novas vêm estampadas com um selo vermelho, facilmente identificável. Quanto às repetidas, ao colecionador é dada a oportunidade de “vendê-las” ao banco por cinco moedas ou de enviá-las ao monte para troca. É possível acompanhar a colagem dos cromos, feita em ordem numérica, página por página, automaticamente.

A cada quatro horas, o sistema disponibiliza um novo pacotinho gratuito. Acumulando moedas conquistadas com as novas figurinhas ou nas trocas, o colecionador tem a opção de adquirir pacotes comuns, prata ou ouro. Estes últimos trazem os cromos raros e ultrarraros. Para completar o álbum mais rapidamente, vale recorrer às trocas. Basta escolher a figurinha desejada, clicar e optar entre oferecer o álbum a um amigo, por email, ou tentar encontrar alguém que necessite de alguma de suas figurinhas repetidas e que disponha daquela que você deseja. O próprio sistema se encarrega de cruzar as informações e, em segundos, a sugestão de troca pode ser enviada. Solicitação aceita, figurinha no álbum!

 

Riqueza socioambiental – O álbum foi dividido em oito sessões: Região dos Abrolhos, Zona Costeira, Recifes de Coral, Arquipélago dos Abrolhos, Algas Calcárias, Fauna Marinha, Usos, Ameaças e Áreas Marinhas Protegidas. Para saber um pouco mais sobre o tema da imagem, o internauta clica em cima da figurinha conquistada. “Nossa intenção é que o álbum funcione como uma ferramenta lúdica e educativa, destacando a importância da região para a conservação da biodiversidade marinha no Brasil e para as comunidades que vivem de seus recursos”, informa Guilherme Dutra, Diretor do Programa Marinho da CI-Brasil.

Para Marcia Hirota, diretora executiva da Fundação SOS Mata Atlântica, o processo para completar o álbum possibilita criar um relacionamento cotidiano. “Isso possibilita atrair e se articular com pessoas interessadas em proteger os ambientes costeiros e marinhos e em conhecer a região. Essa mobilização é muito importante, porque traz mais aliados para a campanha e para a causa.”

Todas as imagens foram cedidas por fotógrafos profissionais, técnicos ou pesquisadores, que acreditam na importância da disseminação da informação para a conservação. Entre eles: Enrico Marcovaldi, Enrico Marone, Ita Kirsch, Luciano Candisani, Paul Nicklen, Sterling Zumbrunn, Cristina Mittermeier,  Ronaldo Francini-Filho, Leonardo Wedekin, Eduardo Camargo e Guilherme Fraga Dutra.

 

Concurso Cultural

Ao completar o álbum, o colecionador receberá automaticamente o cupom do Concurso Cultural Adote Abrolhos, com as perguntas: Qual é a região brasileira que detém a maior biodiversidade marinha do Atlântico Sul e por que ela é nosso grande tesouro?

As duas melhores respostas serão contempladas com viagens de dois dias ao Arquipélago dos Abrolhos, com direito a um acompanhante, no período de setembro a novembro de 2014, época ideal para  avistar baleias jubarte, que migram para a região para reprodução.

O regulamento do concurso está disponível em link no próprio álbum.

 

Campanha Adote Abrolhos

A campanha “Adote Abrolhos – É do Brasil. É do mundo. É nosso”, uma iniciativa da Aliança para a Conservação Marinha – uma parceria entre as ONGs Conservação Internacional (CI-Brasil) e Fundação SOS Mata Atlântica – foi lançada em janeiro de 2014 com o objetivo de aumentar a proteção da região de Abrolhos, importante para a biodiversidade e a economia brasileiras.

Entre outras conquistas, alcançou mais de 10 mil assinaturas na petição AVAAZ (http://bit.ly/abrolhos2014), que pede às autoridades competentes o efetivo funcionamento das unidades de conservação na região e a retomada do processo de ampliação da proteção de Abrolhos com a criação de novas áreas marinhas protegidas.

A campanha foi criada de forma pro bono pela Agência África e conta com a parceria de mais de 20 instituições nacionais e locais, entre elas: Associação Ambiental Voz da Natureza, Associação Mãe dos Extrativistas da Resex de Canavieiras (AMEX), Avenida Filmes, Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas (Confrem), Ecomar, Greenpeace, Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá), Instituto Amigos da Biosfera da Mata Atlântica, Instituto Baleia Jubarte, Instituto Bioma Brasil, Instituto E, Instituto Meros do Brasil, Movimento Cultural ArteManha, Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental (NEMA), Pangea, Patrulha Ecológica, Projeto Albatroz, Projeto Coral Vivo, Projeto Meros do Brasil, Projeto Tamar,  além da operadora de turismo, Horizonte Aberto e do Hotel Marina, de Caravelas. Conta ainda com o apoio da Foundation Veolia Environment e do The Pew Charitable Trusts.

Mais informações em www.adoteabrolhos.org.br. A campanha também pode ser acompanhada pelas redes sociais Facebook.com/adoteabrolhos e Twitter.com/AdoteAbrolhos e Instragram.

 

A região dos Abrolhos

Situada na costa sul da Bahia e norte do Espírito Santo, estendendo-se da foz do rio Jequitinhonha à foz do rio Doce, a região dos Abrolhos tem cerca de 95.000 quilômetros quadrados. A área ainda inclui um mosaico de ambientes marinhos com diferentes tipos de habitats, como os manguezais, praias e restingas.

Entre as principais atividades realizadas por turistas na região estão mergulho para visualização da vida marinha e a observação de baleias. Essas atividades geram renda para mais de 80 mil pessoas que vivem do turismo na área. No entanto, a falta de investimento mina o crescimento do setor. Atualmente o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos recebe menos de quatro mil turistas por ano, gerando R$ 106,71 por dia/turista, em média.

Abrolhos é fundamental para a pesca brasileira e também a região mais abundante em peixes do Nordeste do Brasil. Esta atividade é a principal fonte de renda para cerca de 20 mil famílias de pescadores na região. A região abriga grandes populações de espécies de elevado valor comercial, como badejos, garoupas, vermelhos, lagostas, camarões e caranguejos.

No interior dessa região, a 72 km da costa da cidade de Caravelas, está localizado o Arquipélago de Abrolhos, um conjunto de cinco ilhas: Santa Bárbara (sob controle da Marinha do Brasil, onde está o farol), Siriba, Ilha Redonda, Sueste e Guarita (que pertencem ao Parque Nacional Marinho dos Abrolhos), sendo que é proibido o desembarque nas duas últimas.

 

Os benefícios das regiões costeiras e marinhas

•             Os municípios da zona costeira abrigam 26,9% da população brasileira (50,7 milhões de pessoas);

•             Os ecossistemas marinhos produzem oxigênio e absorvem carbono da atmosfera (calcula-se que os oceanos já absorveram 80% do calor adicionado na atmosfera pelo aquecimento global);

•             A biodiversidade marinha supre 20% da proteína animal consumida por 1,5 bilhão de pessoas no mundo todo e 15% de outros 4,5 bilhões;

•             Os oceanos são a principal via de transporte para o comércio global e abrigam grandes reservas de petróleo e minerais.

 

 

Sobre a Conservação Internacional

A Conservação Internacional (CI-Brasil) é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1987 com o objetivo de promover o bem-estar humano fortalecendo a sociedade no cuidado responsável e sustentável para com a natureza – nossa biodiversidade global – amparada em uma base sólida de ciência, parcerias e experiências de campo. Como uma organização não governamental (ONG) global, a CI atua em mais de 30 países, distribuídos por quatro continentes. Em 1988, iniciou seus primeiros projetos no Brasil e, em 1990, se estabeleceu como uma ONG nacional. Possui escritórios em Belo Horizonte-MG, Belém-PA, Brasília-DF, Rio de Janeiro-RJ, Caravelas-BA, Mucugê-BA e Macapá-AP. Para mais informações sobre os programas da CI no Brasil:

www.conservacao.org

Twitter: @CIBrasil

Facebook: www.facebook.com/ConservacaoInternacional

 

Sobre a Fundação SOS Mata Atlântica

Criada em 1986, a Fundação SOS Mata Atlântica é uma organização privada sem fins lucrativos, que tem como missão promover a conservação da diversidade biológica e cultural do bioma Mata Atlântica e ecossistemas sob sua influência. Assim, estimula ações para o desenvolvimento sustentável, promove a educação e o conhecimento sobre a Mata Atlântica, mobiliza, capacita e incentiva o exercício da cidadania socioambiental. A Fundação desenvolve projetos de conservação ambiental, produção de dados, mapeamento e monitoramento da cobertura florestal do bioma, campanhas, estratégias de ação na área de políticas públicas, programas de educação ambiental e restauração florestal, voluntariado, desenvolvimento sustentável, proteção e manejo de ecossistemas.

www.sosma.org.br

twitter.com/sosma

youtube.com/sosmata

facebook.com/SOSMataAtlantica

plus.google.com/+SosmaOrgBr

instagram.com/sosmataatlantica

 

Sobre a Aliança para a Conservação Marinha

A Aliança para a Conservação de Ecossistemas Marinhos e Costeiros Associados à Mata Atlântica é uma parceria entre as organizações ambientalistas Conservação Internacional (CI) e Fundação SOS Mata Atlântica em prol do estudo e proteção da costa brasileira. Dentre as atividades e esforços realizados pela parceria, estão: campanhas, estudos científicos e levantamento de dados e cursos de formação. Entre os principais resultados da Aliança, estão: a campanha em prol da criação da Reserva Extrativista (RESEX) Cassurubá, o apoio jurídico aos processos de criação e implementação das RESEX Cassurubá, Canavierias e Corumbau; dois cursos de formação em Monitoramento da Biodiversidade em Unidades de Conservação Marinhas Brasileiras e, em 2010, o lançamento de uma importante publicação sobre áreas-chave para a biodiversidade marinha brasileira, levantando as 59 espécies ameaçadas de extinção em várias regiões do Brasil, além de mapear as ecorregiões prioritárias para a conservação marinha e costeira.

Informações para imprensa:

Ana Cíntia Guazzelli: aguazzelli@conservation.org

(21) 97913-7785 / 2148-7785 / 2173-6373

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS RELACIONADAS