Jequitibás, os reis da floresta

Jequitibás, os reis da floresta

Saiba mais sobre essa esplêndida árvore da Mata Atlântica

20 de janeiro de 2023

Texto: Marina Vieira
Fotos: Loan Barbosa

Os jequitibás estão entre as árvores mais altas que existem na flora brasileira. Podem chegar a 50, 60 metros de altura, ultrapassando um prédio de 15 andares. São uma das espécies mais longevas também, se mantendo em pé por centenas de anos. A árvore considerada mais antiga do Brasil, inclusive, é um Jequitibá-Rosa (Cariniana estrellensis) chamado Patriarca. Nasceu antes da chegada dos portugueses ao Brasil, entre 600 e 900 anos atrás, segundo medições de carbono. Ele pode ser visitado no Parque Estadual Vassununga, em Santa Rita do Passa Quatro, interior de São Paulo. Não por acaso, a Cariniana estrellensis é a árvore símbolo do estado de São Paulo.

A copa gigantesca formada pelos jequitibás abriga diversos animais na camada mais alta da floresta. A cobertura de luxo indica o último estágio de sucessão florestal, chamado de clímax. Muitas aves, naturalmente, se abrigam e se alimentam dele. Mas as majestades são queridas também pelos mamíferos mais próximos de nós. Encontramos entre seus galhos famílias de macacos Sauás, ou Guigós, que são hábeis saltadores mesmo estando com os filhotes nas costas.

Bugios, especialmente, que não gostam de descer para o “1º andar” da mata, adoram a espécie. Há diversos registros de filhotes de bugios brincando com o fruto do jequitibá, que tem um formato único, encapsulado, onde ficam guardadas as suas sementes.

 

Detalhe da casca de um Jequitibá-Rosa. Crédito: Loan Barbosa.

Tanto o jequitibá rosa quanto o branco produzem flores. E ao contrário do que se pode assumir, os nomes se referem à cor da madeira, e não das flores, que são muito parecidas.

O jequitibá é um patrimônio da Mata Atlântica, bioma que ainda detém a maior biodiversidade do Brasil e é um dos hotspots mundiais de biodiversidade. Isso significa que tem uma grande variedade de espécies, muitas delas endêmicas (só existem nesse ecossistema) e se encontra sob alto grau de ameaça.

De floresta Atlântica resta hoje apenas 24% da área de cobertura original. Antes da devastação, o bioma cobria 15% do território nacional. Ele ainda resiste: está em 17 estados e sustenta 70% da população brasileira com serviços ambientais. Provém e protege a água, o solo que produz mais da metade dos alimentos do Brasil e ainda estoca carbono.

A SOS Mata Atlântica atua na defesa dos Jequitibás e do bioma onde eles vivem. Faz isso apoiando as unidades de conservação que abrigam os últimos remanescentes de suas espécies magníficas. Produzindo e plantando mudas em projetos de restauração espalhados pelo território. Cuidando da água e mobilizando a sociedade.

Junte-se a nós nessa causa. Doe!

Fontes consultadas:

LORENZI, Harri. et al. 1949. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 1. ISBN 85-86714-16X.

CARVALHO, Paulo Ernani Ramalho. et al. 2003. Espécies Arbóreas. vol 1. ISBN 85-7383-167-7.

 

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não utilizaremos suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Enviaremos sempre os melhores materiais, convites e notícias.

Não utilizaremos suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Ajude a Fundação a conquistar mais resultados.

Fundação SOS Pro-Mata Atlântica

+55 (11) 3262-4088

Rodovia Marechal Rondon, KM 118

13312-000 - Bairro Porunduva – Itu/SP

57.354.540/0001-90

2021 © SOS Mata Atlântica