ACESSE SUA CONTA

Esqueci minha senha

NÃO POSSUI CADASTRO

Fazendo seu cadastro, você:

marco tanaka
  j \d\e F \d\e Y  

Prêmio de Reportagem: últimos dias de inscrição

2 de fevereiro de 2011

Últimos dias para inscrições no Prêmio de Reportagem sobre a Mata Atlântica
A partir desse ano, matérias de internet também podem concorrer. Inscrições se encerram no dia 29/04

Até o dia 29 de abril, jornalistas de televisão, veículos impressos e Internet podem se inscrever na 11ª edição do Prêmio de Reportagem sobre a Mata Atlântica. As reportagens devem ter sido publicadas entre 1° de abril de 2010 e 31 de março de 2011 e podem tratar de temas como lixo, água, ações sustentáveis, crimes ambientais, mudanças climáticas, ecoturismo e vários outros, desde que contextualizados nas mais de 3200 cidades brasileiras que compõem o bioma Mata Atlântica. Todos os detalhes e o regulamento estão no website www.premioreportagem.org.br.

Cada participante pode inscrever até no máximo três reportagens, em português. Para cada uma delas, deve ser preenchido um formulário de inscrição. O formulário pode ser enviado por correio ou pela internet em www.premioreportagem.org.br. Matérias e provas de publicação e veiculação devem ser enviadas pelo correio, juntamente com uma cópia impressa do formulário. As inscrições devem ser enviadas à Coordenação do Prêmio até o dia 29 de abril de 2011, valendo para aceitação a data do carimbo postal.

“Este ano estamos inovando ao lançar a categoria Internet e, nos próximos teremos outras novidades para também poder contemplar a imprensa dos outros segmentos”, comentam Márcia Hirota, diretora da SOS Mata Atlântica, e Luiz Paulo de Souza Pinto, diretor da Conservação Internacional. Com o objetivo de promover o jornalismo ambiental no Brasil, fomentar a produção de reportagens sobre a Mata Atlântica e reconhecer a excelência profissional de jornalistas que cobrem temas ambientais, a iniciativa existe no Brasil desde o ano 2001, promovida pela Aliança para a Conservação da Mata Atlântica, uma parceria entre a Conservação Internacional e a Fundação SOS Mata Atlântica, com o apoio do Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ), da Federação Internacional de Jornalistas Ambientais (IFEJ) e patrocínio de Bradesco Capitalização.

“Ao longo dos anos, viemos acompanhando a evolução das inscrições e analisando os temas que eram apresentados no concurso e, com isso, concluímos que era essencial ampliar as categorias da premiação para atender um segmento que cresce vertiginosamente no meio jornalístico e consolida-se como um dos principais canais de informação para o público em geral”, afirma Marcele Bastos, coordenadora de Comunicação da CI-Brasil. “Com mais uma categoria premiada, conseguiremos incentivar ainda mais a evolução de matérias sobre a Mata Atlântica e, desta forma, contribuir com a conscientização e sensibilização da sociedade para a importância da proteção desta floresta”, diz Ana Ligia Scachetti, diretora de Comunicação da SOS Mata Atlântica e coordenadora do prêmio no Brasil.

Avaliação e Prêmios
Para avaliar cada categoria, há um júri formado por cinco profissionais das áreas de comunicação e conservação ambiental, sem a participação de representantes das instituições organizadoras. Para chegar aos vencedores, o júri faz uma avaliação de todas as reportagens, sem ver a quem elas pertencem, atribuindo notas de 0 a 10 em vários critérios para a categoria Impresso (estilo, conteúdo informativo, fontes, “digestão” da informação e tema); para a categoria Televisão (imagens e edição, conteúdo informativo e texto, fontes e entrevistas e tema); e na categoria Internet (estilo e “digestão” da informação, conteúdo informativo, fontes, conteúdo de hipermídia e tema).

Os vencedores das três categorias poderão participar de um evento internacional de conservação. A premiação inclui passagem aérea de ida e volta, em classe turística, da cidade de residência do ganhador até a cidade do evento, além de hospedagem, refeições e taxa de inscrição no congresso. Os segundos e terceiros colocados em cada categoria receberão R$ 5.000 e R$ 2.500, respectivamente, além de troféu e placa comemorativa em cerimônia no Brasil.

Sobre a Aliança para a Conservação da Mata Atlântica
Parceria entre a Conservação Internacional e a Fundação SOS Mata Atlântica, a Aliança para a Conservação da Mata Atlântica foi criada em 1999 para ampliar a escala de atuação das duas organizações, a partir de uma estratégia comum, em favor da conservação da Mata Atlântica. Com a proposta de diminuir o processo de destruição de um dos biomas mais ameaçados do planeta, a união entre as instituições está fundamentada em duas linhas estratégicas: Áreas Protegidas e Comunicação para conservação. Dentre os principais projetos conduzidos pela Aliança estão o Prêmio de Reportagem sobre a Mata Atlântica e o Programa de Incentivo às Unidades de Conservação Públicas e Privadas da Mata Atlântica.

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS RELACIONADAS