ACESSE SUA CONTA

Esqueci minha senha

NÃO POSSUI CADASTRO

Fazendo seu cadastro, você:

marco tanaka
  j \d\e F \d\e Y  

Projetos contemplados pelo V Edital do Programa Costa Atlântica

20 de dezembro de 2012

SOS Mata Atlântica divulga resultado do V Edital Costa Atlântica. Serão investidos 225 mil reais para sete projetos que visam a conservação da biodiversidade e a sustentabilidade das zonas costeira e marinha

São Paulo, 20 de dezembro de 2012 – A Fundação SOS Mata Atlântica divulga hoje os contemplados do V Edital do programa Costa Atlântica. Os sete projetos escolhidos receberão, ao todo, 225 mil reais para desenvolverem ações enquadradas nas duas linhas de apoio do programa: “Criação e Consolidação de Unidades de Conservação Marinhas” e “Conservação e Uso Sustentável de Ambientes Marinhos e Costeiros”. As instituições contempladas são: Instituto Baleia Jubarte (IBJ), na Bahia; Comissão Ilha Ativa, no Piauí; Cooperativa Manguezal Fluminense, no Rio de Janeiro; Instituto Ekko Brasil, em Santa Catarina; Physis SDA, Salt e Ecosurfi, em São Paulo. O edital conta com o apoio das empresas Repsol Sinopec, Bradesco Capitalização e Anglo American.

Leandra Gonçalves, coordenadora do Programa Costa Atlântica da Fundação, explica que conservar o patrimônio natural e cultural das zonas costeiras e marinhas do país é parte do compromisso da SOS Mata Atlântica. “Os projetos selecionados irão contribuir com a manutenção das áreas marinhas protegidas e também com a preservação da biodiversidade marinha, que já está bastante ameaçada”, diz ela.

Dos projetos beneficiados, um deles está na linha de Criação e Consolidação de Unidades de Conservação (UCs) e seis estão na linha da gestão e ordenamento de recursos pesqueiros; gestão de recursos naturais; planejamento de negócios que aliem conservação da biodiversidade a práticas sustentáveis; e pesquisas sobre a valoração dos serviços ambientais.

“O Brasil tem uma zona costeira e marinha de mais de 4 milhões de quilômetros quadrados, e hoje apenas 1,57% encontra-se protegido sob alguma forma de Unidade de Conservação. Nesse sentido, é urgente todo esforço do poder público e da sociedade civil para a conservação da biodiversidade visando contribuir no cumprimento dos compromissos assumidos pelo governo brasileiro junto à Convenção da Diversidade Biológica”, comenta Leandra Gonçalves.

 

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS RELACIONADAS