Projetos Anteriores

Guararu

A continuidade das ações ao longo do tempo e o entusiasmo por parte dos voluntários da SOS constituíram diferenciais no processo de aproximação com a comunidade. O resultado desse magnífico trabalho de mobilização aparece de forma clara nos discursos e nas atitudes dos moradores, principalmente entre as crianças e jovens.

Eleni Nogueira
Presidente da Sociedade Amigos da Prainha Branca

Linha do Tempo

  • 2001 – Implantação do programa de gestão socioambiental na Serra do Guararu, município de Guarujá (SP)
  • 2002 – Início das ações de coleta seletiva de lixo e oficinas de educação ambiental com as comunidades da Prainha Branca e Cachoeira
  • 2002/2003 – Consolidação da ‘Estrada Parque da Serra do Guararu’, com instalação de pórticos, painéis, coletores de lixo, pontos de ônibus e revitalizações de acessos e trilhas
  • 2004 – Voluntariado assume trabalhos na Serra do Guararu, desenvolvendo oficinas e atividades de mobilização com as comunidades
  • 2005 – Comunidades integram oficinas do Modelo Colaborativo, uma parceria do Voluntariado com a Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional

O Programa de Gestão Ambiental da Serra do GuararuProjeto Guararu consiste na implantação de um modelo de desenvolvimento sustentável, baseado na gestão participativa e no envolvimento das comunidades e dos agentes que interferem na conservação dos ecossistemas locais. A gestão participativa implica, portanto, na integração de proprietários de terra, condomínios, marinas, comunidades tradicionais e locais, iniciativa privada e poder público.

A partir da crença de que todos os atores precisam ser envolvidos na questão ambiental pois esta afeta a qualidade de vida da coletividade, buscam-se atividades comuns voltadas à sustentabilidade, capacitação, diagnósticos e estudos, resgate e valorização da cultura e dos patrimônios naturais, históricos e arqueológicos existentes na região.

A implantação da Estrada Parque da Serra do Guararu, com o objetivo de conciliar lazer, turismo, resgate das tradições e valores locais com a conservação ambiental, associou-se então à missão do projeto. Inicialmente, foram desenvolvidas atividades de coleta de material reciclável com geração de trabalho e renda na ação conhecida como ‘Jogue Limpo Guararu’. Já o Centro de Educação Ambiental e Estudos do Mangue, instalado no km 17 da estrada, tem sido a base para a estratégia de conscientização e engajamento dos atores em atividades como cursos, oficinas e reuniões.

Desde 2003, o Grupo de Voluntários da SOS Mata Atlântica vem promovendo ações de mobilização e oficinas do Modelo Colaborativo apoiado pela Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional (CIDA). Em 2005, essa etapa de fortalecimento comunitário local trouxe importantes momentos de aprendizagem participativa a oficinas de elaboração de projetos, ampliando a autonomia das comunidades para a conservação dos recursos naturais.

Já as parcerias da Estrada Parque foram firmadas com o DER - Departamento de Estradas de Rodagem, Dersa e Secretaria Estadual de Transportes para possibilitar intervenções, como a instalação de pórticos de entrada e saída, banners indicativos, pontos de ônibus e coletores de lixo e material reciclável (32 para lixo comum e 32 para recicláveis) ao longo do percurso. Também se destaca a reforma da Escola Professor Gabriel Bento de Oliveira, na Cachoeira, e a revitalização da Praça da Balsa que liga o Guarujá a Bertioga, além do restauro da Igreja e a revitalização em sistema de mutirão da trilha que dá acesso à Prainha Branca.

Resultados

Os resultados do projeto foram divulgados por meio de um mural, fixado em pontos públicos do Guararu ao longo de dois anos, e de um jornal anual, “A Voz do Guararu”, com tiragem de 2 mil exemplares. O Grupo de Voluntários da SOS Mata Atlântica continua liderando as práticas que fazem dos moradores protagonistas das iniciativas para o futuro da região, como no Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo confeccionado durante a oficina de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos na Prainha Branca.

A consolidação das conquistas do projeto Guararu está registrada ainda em publicações como o livro ‘Estrada Parque – conceito, experiências e contribuições’. E as atividades têm propiciado resultados visíveis: da deterioração ambiental e invasões que deixaram de avançar, até a gestão participativa por comunidades e moradores locais de seu patrimônio. Por fim, uma das maiores contribuições da Fundação SOS Mata Atlântica foi a elaboração de um Marco Regulatório, com ordenamento territorial e criação de Unidade de Conservação dotada de conselho de gestão e fundo próprios, apresentado ao Município para subsidiar o Plano Diretor do Guarujá, com vistas a aperfeiçoar as legislações municipais e contribuir na implantação de um sistema municipal de meio ambiente compatível com a gestão participativa para a Serra do Guararu.


Compartilhe