Projetos Anteriores

Projeto Cairuçu

O Plano de Gestão é o único caminho para manter os valores históricos, culturais e ambientais do município.

José Cláudio Araújo
Prefeito de Paraty, 2002

A construção do Centro de Informações Ambientais e Turísticas do Cairuçu representa o espaço onde moradores, visitantes, agentes de viagem, pesquisadores e interessados encontram referência e o mais completo mapeamento já feito sobre a região.

Adriana Mattoso
Coordenadora do Plano de Gestão Ambiental do Cairuçu

Linha do Tempo

  • 1999 – Com apoio do Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e Unesco, SOS Mata Atlântica lança o curso ‘Acorda Cairuçu – Vivenciar para Conscientizar’
  • 1999/2000 – SOS Mata Atlântica inicia Plano de Gestão Ambiental da APA Cairuçu com participação dos atores locais
  • 2000 – Início da campanha ‘Jogue Limpo Cairuçu’ de conscientização para os problemas de lixo em Paraty
  • 2001 – Em parceria com a Colgate/Palmolive, SOS Mata Atlântica inaugura viveiro de mudas em Paraty para recuperação de áreas degradadas
  • 2002 – Entrega do Plano de Gestão Ambiental da APA Cairuçu e inauguração do Centro de Informações Ambientais e Turísticas no acesso a Trindade

Ao criar uma ponte entre dois atores diferenciados do processo de conservação do litoral, a população tradicional de caiçaras e proprietários do condomínio de luxo Laranjeiras, a SOS Mata Atlântica conseguiu viabilizar a realização do Plano de Gestão Ambiental da APA Cairuçu, na porção sul do município de Paraty (RJ). O projeto, patrocinado pelo condomínio Laranjeiras, iniciou-se em 1999 e dependeu de uma cooperação técnica entre Ibama, IEF (Instituto Estadual de Florestas – RJ), Prefeitura de Paraty e SOS Mata Atlântica.

A Área de Proteção Ambiental Cairuçu conta com 33,8 mil hectares, com 63 ilhas, dezenas de praias belíssimas, extensos manguezais, picos com mais de 1 mil metros de altitude, e comunidades caiçara, indígena e quilombola que são extremamente importantes para a conservação da Mata Atlântica. Além disso, engloba a Reserva Ecológica de Juatinga, de 10 mil hectares, cujo acesso só é feito a pé ou de barco.

O envolvimento de todos os setores da sociedade, num modelo participativo, foi o ponto alto da parceria para a construção do documento. Após 3 anos de construção em atividades e assembléias participativas com as comunidades locais, onde o conhecimento tradicional foi agregado ao documento, o Plano de Gestão Ambiental foi entregue em 2002. Consiste num diagnóstico socioambiental baseado em entrevistas com as comunidades, levantamentos de campo e interpretações de imagens de satélite e fotografias aéreas, para a caracterização do uso do solo, da cobertura vegetal, da fauna, dos ambientes marinhos e do meio físico. O trabalho culminou ainda numa oficina de planejamento participativo com representantes da população para a definição do zoneamento territorial da área e dos objetivos.

As recomendações contidas no Plano surgem como primeiras referências regionais para o uso do território, levando em conta população, turismo, economia e uso do solo.

As comunidades começaram a ser envolvidas na elaboração do Plano a partir do curso “Acorda Cairuçu – Vivenciar Para Conscientizar”, capacitação ambiental para professores e lideranças, em abril de 1999. Durante o curso, os participantes apontaram a coleta seletiva de lixo como prioridade ambiental da região. Foram realizados, então, mutirões de limpeza e oficinas de arte para a sensibilização das pessoas e instaladas lixeiras plásticas e galpões de armazenamento de sucata em sete comunidades – Trindade, Paraty Mirim, Praia do Sono, Pouso da Cajaíba, Ilha do Araújo, Campinho da Independência e Cais do Porto. No verão de 2000, teve início a campanha Jogue Limpo Cairuçu, buscando a conscientização e o envolvimento da população e dos turistas em relação aos problemas de lixo de Paraty.

A Fundação SOS Mata Atlântica, em parceria com a Sorriso Herbal, linha de higiene bucal da Colgate/Palmolive, instalou ainda um moderno viveiro no Horto Municipal de Paraty, com capacidade de produção de 50 mil mudas/ano, que vem promovendo várias atividades voltadas à recuperação de áreas degradadas, à capacitação de lideranças, entre outras relacionadas com o desenvolvimento sustentável da região.

Por fim, no dia da entrega do Plano de Gestão Ambiental, a SOS Mata Atlântica inaugurou o Centro de Informações Ambientais e Turísticas de Cairuçu, localizado no entroncamento da Rodovia Rio/Santos, com via de acesso para Trindade. O centro passa a ser o lugar onde os moradores, visitantes, agentes de viagens, pesquisadores e interessados em geral encontram os resultados dos trabalhos desenvolvidos sobre Paraty.


Compartilhe