Notícias

Newsletter

Acompanhe as novidades e fique sempre informado sobre nossos eventos

Prorrogadas as inscrições para edital de projetos em áreas costeiras e marinhas
18/12/2018


Associações comunitárias e ONGs que atuam em Unidades de Conservação de quatro estados nordestinos têm até 31 de janeiro de 2019 para se inscrever

A Fundação SOS Mata Atlântica prorroga as inscrições até 31 de janeiro de 2019 para edital que beneficiará projetos na Bahia, Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte voltados para o fortalecimento de iniciativas para o uso sustentável dos recursos naturais em Unidades de Conservação (UCs) costeiras e marinhas da Mata Atlântica. Os projetos devem ter o prazo máximo de um ano de duração. O edital completo está disponível neste link.

Entre as iniciativas alvo deste edital estão projetos que assegurem a presença de comunidades tradicionalmente beneficiárias das UCs – como moradores do entorno ou beneficiários de UCs de uso sustentável – a organização de cadeias produtivas, a organização e fortalecimento institucional de associações locais, formação de lideranças, inclusão nos mercados, beneficiamento, rastreabilidade de produtos, turismo de base comunitária, entre outros. As iniciativas vencedoras receberão investimento de até R$ 30 mil.

Além da avaliação da qualidade, coerência, pertinência e criatividade do projeto, a Fundação SOS Mata Atlântica verificará critérios como viabilidade técnica e financeira, relevância local e formação de parcerias na região.

“Queremos apoiar projetos que vem fazendo a diferença e somando esforços na gestão das Unidades de Conservação. Estamos falando de um dos instrumentos mais importantes para a conservação da biodiversidade e manutenção dos recursos naturais com a participação das comunidades locais“, afirma Marcia Hirota, diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica.

Podem concorrer neste edital associações representativas de comunidades beneficiárias de UCs ou ONGs que estabeleçam parceria comprovada com as comunidades locais e com a gestão da UC. É importante, ainda, que o projeto esteja alinhado aos objetivos das áreas protegidas e de seu plano de manejo.

“Esperamos receber propostas que apresentem uma solução para problemas na gestão das UCs e no uso de seus recursos, trazendo mudanças positivas com indicadores claros e mensuráveis. A ideia é que o projeto tenha poder de mobilização, replicabilidade e que garanta a continuidade do engajamento social após seu término“, afirma Diego Igawa, biólogo da SOS Mata Atlântica, coordenador deste edital.

As inscrições serão feitas pelo site http://gerencia.sosma.org.br/ucs, onde há um manual com instruções detalhadas do uso do ambiente do sistema gerencial para a inclusão dos documentos e submissão da proposta. O edital tem recurso da Ypê.

Valorização de Parques e Reservas

Uma das causas da Fundação é a Valorização de Parques e Reservas. A SOS Mata Atlântica atua para dar visibilidade, estimular a visitação, aumentar e consolidar as Unidades de Conservação, ampliando o protagonismo da sociedade civil, dos órgãos ambientais e dos proprietários privados. As UCs são espaços especialmente protegidos por lei e, na Mata Atlântica, existem mais de 2.300 delas. O conjunto das UCs, que são popularmente conhecidos como parques, na Mata Atlântica está sob influência dos centros urbanos e próximos das pessoas. Para garantir a conservação dessas áreas é muito importante fortalecer a sua gestão, valorizar a presença nesses espaços e engajar a sociedade, seja pela participação nos conselhos ou em projetos de pesquisa, educação ambiental ou visitação.

Ao longo dos seus 32 anos, a Fundação SOS Mata Atlântica tem apoiado a criação e consolidação de Unidades de Conservação em diferentes esferas e regiões do bioma. Ao todo, mais de 500 UCs públicas e privadas já foram apoiadas pela ONG na Mata Atlântica e ambientes costeiros e marinhos. Os editais de chamadas de projetos constituem-se no principal instrumento de apoio à consolidação da rede de UCs. Mais de 20 editais já foram lançados nos últimos 15 anos com abordagens diferentes desde apoio à criação e gestão de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), passando também pela criação e gestão de UCs marinhas e costeiras e, por último, à criação e gestão de UCs reconhecidas na esfera municipal, contribuindo para o fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC, Lei No 9.985/2.000), uma política prioritária para a Fundação SOS Mata Atlântica.


Tags

Compartilhe

Comentários