Notícias

Newsletter

Acompanhe as novidades e fique sempre informado sobre nossos eventos

Para ministra, estrada dentro de Parque do Iguaçu é uma agressão inaceitável
21/06/2013


A ministra Izabella Teixeira (Meio Ambiente) afirmou nesta sexta-feira (21/06) que é um “acinte o Brasil querer reabrir a Estrada do Colono”, que corta o Parque Nacional do Iguaçu, famoso internacionalmente por suas Cataratas. Ela fez o pronunciamento durante o Fórum Mundial de Meio Ambiente, em Foz do Iguaçu.

“Essa é uma disputa que a sociedade já faz há mais de 20 anos, com decisões do Supremo Tribunal Federal. Sou frontalmente contra a reabertura, isso é inaceitável. Não preciso reabrir a estrada para promover o desenvolvimento sustentável no Paraná. Não é que não se possa buscar alternativas para os municípios que estão no entorno do parque, mas não com a sua destruição e reduzindo mais ainda a população de felinos,  como está acontecendo hoje”, disse ela.

A ministra contou que teve o apoio de vários parlamentares para que o assunto não fosse a plenário. “Foi votado na comissão, mas não no plenário”, disse. O Projeto de Lei que propõe a criação da estrada é o nº 7.123/2010.

Para ela, não é possível que um dos parques mais importantes do planeta e referência do país, além de protegido internacionalmente como Patrimônio Natural da Humanidade, seja exposto a uma agressão como essa. “No passado a estrada foi uma agressão”, ressaltou.

Ela felicitou a realização de uma manifestação no próximo domingo (23/06) em defesa do Parque Nacional do Iguaçu. “Não estarei aqui, mas apoio a iniciativa.”

A Fundação SOS Mata Atlântica entregou no evento à ministra e ao governador do Paraná, Beto Richa, ofícios que pedem o esforço de ambos para garantir a integridade do parque e das Unidades de Conservação. A leitura foi feita por Roberto Klabin e Pedro Passos.

Foz_editada

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo o documento, o caminho fechado por decisão judicial em 2003 em virtude de crimes ao meio ambiente e da utilização da estrada para o tráfego de drogas e contrabando.

O parque abriga o maior remanescente de Mata Atlântica da região Sul do Brasil e protege uma riquíssima biodiversidade. “Essa imensurável riqueza e diversidade biológica somada à paisagem única das Cataratas, de raro valor cênico e patrimonial, fizeram com que o Parque Nacional do Iguaçu se tornasse a primeira Unidade de Conservação do Brasil com o título de Sítio do Patrimônio Mundial Natural conferido pela Unesco, no ano de 1986”, afirma a carta.

Protesto

O ato público em defesa do Parque Nacional do Iguaçu será no domingo (23/06), às 10h30, em frente ao Hotel das Cataratas. A entrada no parque será gratuita.

O objetivo da manifestação é para alertar para as diversas ameaças que o parque tem sofrido. Em 2011, a zona de amortecimento do parque (área que circunda a Unidade de Conservação e dá proteção adicional a ela) foi reduzida de 10 quilômetros para 500 metros. E, mais recentemente, foi autorizada a construção da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu, que afeta diretamente o Rio Iguaçu.

(com foto de Juan Guerra e de divulgação do Parque Nacional do Iguaçu)

 

Área que um dia foi estrada voltou a ter floresta dentro do Parque Nacional do Iguaçu

Área que um dia foi estrada voltou a ter floresta dentro do Parque Nacional do Iguaçu, mas ameaça continua


Tags

Compartilhe

Comentários