Blog

Centro de Experimentos Florestais: laboratório a céu aberto
21/08/2015


O Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica – Brasil Kirin foi criado em 2007 e já se tornou referência em trabalhos de restauração e conservação dos serviços ecossistêmicos. No espaço são realizadas atividades de produção de mudas de espécies florestais nativas, gestão e implantação de projetos, educação ambiental e mobilização. Além disso, estão entre as linhas de ação do Centro de Experimentos Florestais a pesquisa, experimentação, capacitação e formação profissional, pela importância de gerar novos conhecimentos no âmbito da Ecologia da Restauração, uma ciência relativamente recente e que possui muitas particularidades. Dessa forma, podemos considerar o Centro de Experimentos como um grande laboratório a céu aberto, que contribui para a capacitação e a difusão do conhecimento para fortalecer as habilidades de estudantes, pesquisadores, técnicos e profissionais de instituições públicas e privadas, buscando promover a integração do meio técnico-científico com profissionais da área.

Com esse enfoque, diversas pesquisas são realizadas no local, em parceria com universidades como ESALQ/USP, UFSCAR São Carlos e UFSCAR Sorocaba. Entre as pesquisas, estão temas como o monitoramento de espécies de aves e quantificação de biomassa arbórea.

Outra forma de atuação é o agendamento de visitas técnicas ao viveiro e áreas de plantio do Centro de Experimentos, atividades que possibilitam a orientação de diferentes públicos, entre estudantes, produtores rurais e profissionais da área.

No primeiro semestre de 2015, dentre as visitas realizadas destaca-se a do grupo da Associação Muda Nordeste (AMN). Sediada em Pernambuco, a associação é resultado da iniciativa de um grupo de pequenos agricultores produtores de espécies nativas da Mata Atlântica que decidiu pela criação de uma organização  para atender projetos de restauração  ecológica  na porção da Mata Atlântica ao norte do rio São Francisco.  Atualmente, ela é  formada  por  oito  integrantes – seis pequenos  produtores de mudas e dois técnicos. A Associação conta ainda com o apoio do Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan), que presta suporte técnico ao grupo, da IUCN-Brasil e do Fundo Brasileiro para Biodiversidade (Funbio).

O objetivo principal da visita da AMN ao Centro de Experimentos Florestais foi compartilhar com esses parceiros as tecnologias utilizadas no que diz respeito às instalações do viveiro florestal, técnicas e procedimentos para produção de mudas e as experiências de implantação e gestão de projetos de restauração.

Se você e sua instituição desenvolvem projetos de restauração e conservação, entre em contato conosco para trocar aprendizados e experiências. Contato: restauracao.areatecnica@sosma.org.br.

*Por Aretha Medina, coordenadora de Restauração Florestal da Fundação SOS Mata Atlântica.

A Fundação é uma ONG brasileira que desenvolve projetos e campanhas em defesa das Florestas, do Mar e da qualidade de vida nas Cidades. Saiba como apoiar essas ações em www.sosma.org.br/apoie.


Tags

Compartilhe

Comentários