Blog

Parque Nacional do Itatiaia faz 80 anos
14/06/2017


“Calmo subjacente

O vale infinito

A estender-se múltiplo

Inventando espaços

Dilatando a angústia

Criando o silêncio.”

Um lindo trecho do poema “Pôr-do-sol em Itatiaia”, escrito em 1940 pelo grande maestro e compositor apaixonado pela natureza, Vinícius de Moraes, abriu as comemorações dos 80 anos do primeiro parque do Brasil e da Mata Atlântica, o Parque Nacional do Itatiaia. A citação foi da Paulina Chamorro, mestre de cerimônia, uma das grandes referências no jornalismo ambiental que conduziu o evento numa bela tarde cercada por quase 300 pessoas.

Vinícius de Moraes frequentava a região e há registro de outro poema escrito por ele em 1937 sobre a área, citado pelo Mario Sergio Conti em sua coluna de 2015, “Três artistas do Itatiaia”, no O Globo.

PNI_11937 é o ano em que foi criada esta primeira Unidade de Conservação de proteção integral do Brasil, pelas mãos do presidente Getúlio Vargas, localizada no coração da Serra da Mantiqueira entre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. O Parque Nacional do Itatiaia abriga o Pico das Agulhas Negras, as Prateleiras que visitei com meus amigos na adolescência, belíssimas cachoeiras e vários atrativos, além da bela paisagem, suas águas e a rica biodiversidade, singular da região.

Ricardo Soavinski, presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), destacou na sua fala a importância do parque no contexto das Unidades de Conservação, com destaque para o uso público e a pesquisa científica. O Itatiaia está no topo da lista na pesquisa entre os parques do país.

Fotos: Miguel Von Behr

A primeira publicação do Parque Nacional do Itatiaia foi um Boletim de Pesquisa lançado em 1949 pelo então chefe, Wanderbilt Duarte de Barros, que escolheu o naturalista e entomologista J.F. Zikán para divulgar o registro de 82 novas espécies de vespas.

Wanderbilt Duarte de Barros dirigiu o parque entre 1943 e 1957. Engenheiro agrônomo, teve uma grande trajetória com muitas conquistas e várias contribuições na administração pública e nas pesquisas científicas. O Centro de Visitantes, que leva o seu nome desde 1997, acabou de ser restaurado e ganhou uma belíssima exposição interativa com as belezas, a biodiversidade, a história e os atrativos do parque. Vale a pena visitar!

PNI_2Conheci o Wanderbilt na década de 90, durante a o período em que foi superintendente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, instituição que acabou de completar 209 anos. As boas lembranças da nossa luta pela biodiversidade e das áreas protegidas da Mata Atlântica vieram ao conhecer a família, o filho, professor Antônio Alberto Alessandro de Barros e Wanderbilt Duarte de Barros Neto, que participaram do evento.

Chamada para compor o palco de autoridades, pude destacar o compromisso da Fundação SOS Mata Atlântica em prol das Unidades de Conservação, públicas e privadas do bioma, reforçando a importância e nossa atuação para apoiar a gestão e fazer com que os parques sejam realmente indutores de desenvolvimento regional por meio do turismo e das atividades, geradores de trabalho e renda para as comunidades do entorno. Ouvindo os prefeitos de Resende, Itatiaia e Itamonte, vejo que há muitas oportunidades, boas alianças e parcerias que podem acontecer nessa direção para potencializar e fortalecer ainda mais essa agenda.

Guilherme Passos, do conselho do Instituto Semeia, ONG que atua fomentando parcerias em prol dos parques do Brasil e contribuiu para a realização do evento, enalteceu em sua fala os gestores das Unidades de Conservação. De fato, os gestores são os grandes líderes de uma importante agenda de país. No Itatiaia, podemos destacar o Walter Behr, que esteve à frente por muitos anos, e o atual chefe, Gustavo Tomzinski, profissionais guerreiros e guardiões da natureza, nossos grandes parceiros, com muito orgulho. O dia também foi dos gestores e toda equipe e colaboradores do ICMBio, estão de parabéns!

Foi uma maravilhosa celebração, que encerrou com um coquetel ao som de um pocket show do Chico Livino, gestor do Parque Nacional da Serra da Bocaina, que a pedido do Gustavo Tomzinski compôs uma bela música para o Parque Nacional do Itatiaia, “Explosão de vida”:

“Pedras esculpidas, galeria em tuas Prateleiras

…. Em ti começa a história protegendo as matas brasileiras

… Sagrado Itatiaia

A águia corta o manto tricotado por Agulhas Negras

É a joia da coroa que consagra a vasta Mantiqueira.”

O Parque Nacional do Itatiaia é um importante destino turístico, pouco explorado. O jornalista Marcos Sá Corrêa, que visitou e registrou muito a região, publicou um belíssimo livro sobre o parque chamado “Itatiaia – o caminho das pedras”. Esse parque faz 80 anos hoje, 14 de junho. Meu desejo é que esse caminho das pedras seja percorrido por muitas pessoas, especialmente os brasileiros, para que visitem e conheçam a beleza e a riqueza do lugar. Isso sim será sempre um belo presente!

Marcia Hirota.
Diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica


Tags

Compartilhe

Comentários