Riqueza Ameaçada

A Mata Atlântica é uma das áreas mais ricas em diversidade de espécies do mundo e também uma das mais ameaçadas.  Esta floresta e seus ambientes costeiros e marinhos oferecem serviços essenciais para a nossa sobrevivência e bem-estar, bem como para o desenvolvimento econômico – como a produção de água, alimento, regulação do clima, qualidade do ar e a oferta de espaços de lazer e atividades turísticas. Um dos mecanismos mais efetivos para garantir esses benefícios é a criação, manutenção e gestão das diferentes unidades de conservação (UCs), popularmente conhecidas como parques e reservas. As unidades de conservação da natureza (UCs) são áreas que protegem biodiversidade e serviços ambientais, recursos fundamentais para a vida e por isso são protegidas e devem receber o cuidado de todos.  Além de guardar patrimônios biológicos existentes em parques, serras, cachoeiras e outras áreas da natureza, as UCs também garantem a sobrevivência de várias espécies, inclusive a humana. Atualmente, as UCs ocupam cerca de 17% do território brasileiro, divididas em 12 categorias, cada uma com características e necessidades próprias.

Sustentabilidade

As UCs também asseguram às populações tradicionais o uso sustentável dos recursos naturais de forma racional e ainda propiciam às comunidades do entorno o desenvolvimento de atividades econômicas sustentáveis.  Estas áreas estão sujeitas a normas e regras especiais.  São legalmente criadas pelos governos federal, estaduais e municipais, após a realização de estudos técnicos dos espaços propostos e, quando necessário, consulta à população.

Por que as UCs importam

Proteger as UCs é garantir a existência da vida.  As UCs são reconhecidamente a principal ferramenta para proteger biodiversidade e contribuem com o desenvolvimento econômico e regional. Entenda por que cuidar das UCs existentes e garantir a criação de novas é importante para todos:
  • A maior parte da energia elétrica consumida hoje no Brasil vem de rios que nascem ou passam pelas UCs;
  •  35% da água que abastece a todos nós partem das UCs;
  • As UCs ajudam a controlar o microclima das cidades e a qualidade do ar que você respira;
  • A estruturação das UCs e seu entorno para o turismo tem o potencial de gerar mais de R$ 50 bilhões em dez anos;
  •  Mais de meio milhão de brasileiros vivem em UCs e dependem de seus recursos para manutenção de sua forma de vida tradicional e de sua cultura.
E tem mais:
  • As UCs contribuem para evitar desastres climáticos, tais como deslizamentos de terra, enchentes e grandes queimadas;
  • A interação com a natureza promovida pelas UCs é fonte de lazer e bem-estar para todos;
  • As UCs são os últimos refúgios para centenas de espécies da fauna e da flora que estão ameaçadas de extinção;
  •  As UCs mantém estoques significativos de peixes e outros recursos marinhos que abastecem a pesca artesanal e industrial;
  • A produção de alimentos depende de polinizadores e da regulação do clima exercida pelas UCs;
  •  Os recursos naturais das UCs, tais como a castanha, a borracha, o açaí e o buriti, promovem a geração de renda e melhoria das condições de vida de diversas populações.
Importância das unidades de conservação

Enviaremos sempre os melhores materiais, convites e notícias.

Não utilizaremos suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Ajude a Fundação a conquistar mais resultados.

Fundação SOS Pro-Mata Atlântica

info@sosma.org.br

+55 (11) 3262-4088

Av. Paulista, 2073 - Horsa 1 - Conj. 1318

01311-300 - Bela Vista - São Paulo/SP

57.354.540/0001-90

2021 © SOS Mata Atlântica