Nossas Causas

Valorização dos Parques e Reservas

A Mata Atlântica oferece serviços essenciais para a nossa sobrevivência e bem-estar, assim como para atividades importantes à nossa economia. Ela contribui para a produção de água que abastece as cidades, bem como na produção de alimentos, regulação do clima, melhoria da qualidade do ar, além de resguardar nossa história e oferecer espaços de lazer e recreação – o que torna fundamental a proteção desse patrimônio.

Como um dos biomas mais ricos em diversidade de espécies, a Mata Atlântica abriga 4 mil espécies de animais – sendo cerca de 60% das ameaçadas de extinção no Brasil –, e possui 15 mil espécies de plantas -dessas, 8 mil ocorrem somente neste bioma.

Um dos mecanismos mais efetivos para garantir a continuidade desses benefícios é a criação, manutenção e gestão das Unidades de Conservação (UCs) terrestres ou marinhas, públicas ou privadas.

Existem na Mata Atlântica mais de 2.500 Unidades de Conservação (Federal, Estadual e Municipal). O setor privado é responsável pela criação e manutenção de mais de 1.100 Reservas Particulares.

O conjunto de Ucs, que são popularmente conhecidos como parques, na Mata Atlântica está sob influência dos centros urbanos e próximos das pessoas. Para garantir a conservação dessas áreas é muito importante fortalecer a sua gestão, valorizar a presença nesses espaços e engajar a sociedade, seja pela participação nos conselhos ou em projetos de pesquisa, educação ambiental ou visitação.

A SOS Mata Atlântica atua para dar visibilidade, estimular a visitação, aumentar e consolidar as UCs, ampliando o protagonismo da sociedade civil, dos órgãos ambientais e dos proprietários privados. Trabalha pela implementação da Lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (9.985/2000) e para destravar o acesso aos recursos financeiros destinados à criação, manutenção e gestão desses espaços, assim como para estabelecer mais incentivos para as reservas particulares.

Conheça algumas iniciativas em UCs Municipais.