ACESSE SUA CONTA

Esqueci minha senha

NÃO POSSUI CADASTRO

Fazendo seu cadastro, você:

marco tanaka
  j \d\e F \d\e Y  

Resultado do 1º Edital Programa Costa Atlântica

15 de janeiro de 2008

I Edital do Programa destina R$180 mil para os cinco projetos selecionados, que serão desenvolvidos em seis estados brasileiros em 2008.

O Programa Costa Atlântica para a conservação das Zonas Costeira e Marinha sob influência do Bioma Mata Atlântica anuncia o resultado do “I Edital do Fundo Costa Atlântica”, que tem como foco o apoio a projetos para criação e consolidação de Unidades de Conservação Marinhas. Serão aplicados R$ 180 mil em cinco projetos a serem desenvolvidos em seis estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Ceará e Piauí. Os recursos são provenientes do Bradesco Capitalização e da Copebrás-Anglo American.

A costa do Brasil é uma das maiores do mundo (cerca de 7500 km), constituída por uma variedade de ambientes marinhos e costeiros em grande parte margeados pelo Bioma Mata Atlântica, um dos mais ricos em biodiversidade e ameaçados do planeta. Embora mais da metade da população brasileira esteja concentrada no litoral, usufruindo dos serviços ambientais prestados pelos ecossistemas ali presentes, os ambientes marinhos e costeiros ainda são pouco valorizados no que se refere a sua conservação.

Além dos impactos previstos como efeito das mudanças climáticas globais, tais como o aumento da erosão costeira, a alteração das áreas úmidas e os riscos aos recifes de coral, a biodiversidade marinha e costeira do País vem sendo comprometida há décadas pela sobrepesca, devastação da Mata Atlântica, turismo predatório, ocupação desordenada, poluição entre outras atividades conduzidas sem planejamento, controle e fiscalização satisfatórios.

A criação de Áreas Marinhas Protegidas (AMPs) vem ganhando força mundialmente nos últimos anos como forma de conservar a biodiversidade, ordenar a atividade pesqueira e fomentar a prática do ecoturismo. No Brasil, menos de 0,5% da sua Zona Econômica Exclusiva (ZEE) está protegida sob a forma de alguma categoria de Unidade de Conservação. Além da baixa representatividade, a maioria das AMPs existentes ainda necessitam de melhores condições de infra-estrutura para fiscalização, monitoramento e outras atividades visando sua efetiva implementação.

Com a execução dos projetos aprovados, A SOS Mata Atlântica espera incrementar os esforços em curso visando à proteção da biodiversidade, o uso ordenado dos recursos pesqueiros e, sobretudo, a integridade de um dos mais importantes patrimônios das atuais e futuras gerações brasileiras.

Propostas selecionadas pelo I Edital:

  1. Refúgio de Vida Silvestre do Peixe-Boi Marinho
  2. Proponente: Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS)

  3. Projeto de Apoio à Fiscalização Marinha da Estação Ecológica dos Tupiniquins e Entorno
  4. Proponente: Sociedade de Defesa do Litoral Brasileiro (SDLB)

  5. Apoio à Criação e Planejamento de uma Unidade de Conservação Municipal Marinha em Ilhéus BA, destinada à preservação do Mero-Canapu (Epinephelus itajara)
  6. Proponente: Instituto Floresta Viva

  7. Centro de Informações Ambientais da Estação Ecológica de Tamoios: Contribuindo com a Conservação da Biodiversidade e a Sustentabilidade Sócio-Ambiental da Baía da Ilha Grande
  8. Proponente: Sociedade Angrense de Proteção Ecológica (SAPE)

  9. Educação Ambiental no Parque Nacional Marinho e na Área de Proteção Ambiental de Fernando de Noronha
  10. Proponente: Centro Golfinho Rotador

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS RELACIONADAS